segunda-feira, 7 de julho de 2014

Tinha de ser assim tão suja? Parece que sim!

Naquela que era possivelmente a última prova antes do meu próximo grande e último desafio para esta época, desloquei-me alguns quilómetros de casa (aproveitando a bicicleta que me calhou em sorte na corrida anterior) para fazer uma prova de trail com tudo a que temos direito: travessia de rios, subidas íngremes com muita lama e água a escorrer, passagem de obstáculos e no fim a "pièce de résistance" que mostrarei em seguida. O nome da prova? Dirty Dash. E parece que o nome é muito bem escolhido.

Logo ao início ficámos 4 atletas, dos quais 1 acabaria por ficar para trás a meio da primeira volta, a tomar a frente da corrida. Por não saber qual o percurso a percorrer e na ausência de carro ou bicicleta a indicar o caminho (a marcação era feita por bandeiras e por vezes não era nada óbvio) optei por me deixar ir em segundo lugar e ir na cola do atleta da frente.

Grupo da frente da corrida.
Os primeiros 2 km foram feitos sem grandes problemas nunca percurso que englobava subidas em relva e descidas em gravilha, a partir daí tem-se a entrada no mato que nos leva à primeira de 2 travessias do rio. Depois de ter feito a primeira travessia sem problemas e continuando colado ao 1º classificado, na segunda por falta de indicação dos voluntários da prova fiz um desvio que não dava para chegar ao rio e tive de voltar para trás de modo a poder fazer a travessia. Os segundos perdidos aí, aliados à paragem para me dizerem qual o caminho certo a seguir levaram a que o outro atleta se isolasse e ficasse com muitos metros de avanço, que depois acabaram por ser impossíveis de recuperar.

Terminada a primeira volta do circuito em cerca de 16 minutos continuei sozinho, sabendo que tenha outro atleta atrás de mim a cerca de 10 metros de distância. Pouco portanto, caso cometesse algum erro como o da travessia do rio.

E a verdade é que esse erro, ou melhor erros, acabaram por acontecer. O primeiro novamente na travessia do rio onde uma queda na transposição para o terreno seco permitiu que o meu adversário me apanhasse. Daí em diante fomos os 2 colocados e via-se que ninguém queria ir para a frente puxar e faciliar a tarefa ao outro. Pensei em atacar na última subida da prova, que tinha uma extensão de cerca 200 metros com inclinação bem pronunciada. No entanto, sabia que não iria ser fácil, pois devido à quantidade de lama que lá existia já tinha andado a patinar na primeira passagem.

Final da última subida da volta.
Pois bem, quando decido começar a puxar e estou a cerca de 30 metros do final da subida nova queda e o outro atleta aproveita para passar e abrir uma distância de cerca de 100 metros que com 500 metros para o final da prova já não davam para recuperar.

Quando se chega à recta da meta tem-se o desafio final: um poço de lama com cerca de 20 metros de comprimento e uma profundidade de cerca de 30 cm, com a particularidade de termos de passar por baixo de uma fita que por sinal estão perto do topo do poço.
Como vi que não tinha ninguém atrás de mim ainda tive tempo de tirar os ténis e o relógio para que estes pudessem ser utilizados em ocasiões futuras.
A travessia deste poço é realmente complicada devido à grande resistência que exerce ao avanço dos atletas após um percurso que acaba por não ser meigo para as pernas.
Como bónus deixo aqui 2 imagens minhas que ilustram bem o que o poço faz a uma pessoa :)
No início do poço.

A tentar a saída do poço.
Após o fim da corrida fui reconfortado pelo atleta que ficou imeadiatamente à minha frente pelas quedas dei e que o levaram a passar-me... É sempre bom.

No final os 8.12 km foram feitos em 32:23, o que não sendo algum de brilhante, tendo em conta o percurso e tal as incidências da corrida até não considero muito mau.
Em termos de classificações consegui um 3º lugar da geral e o primeiro no meu escalão, algo que acontece pela primeira vez :D

Agora é trabalhar no duro durante mais um mês para o grande desafio sobre o qual falarei num dos próximos posts... O que posso dizer é que aqui é chamado o "Tour de France of Running".

Até à proxima :)

Desejo de bons treinos e melhores corridas.

João


4 comentários:

  1. Grande prova, excelente prestação e um tratamento de lama para a pele! O que mais querer um atleta?! Parabéns!

    ResponderEliminar
  2. Olá Jorge.

    Sim, com provas destas não é necessário fazer tratamentos em spas. A prova já inclui isso :)

    Obrigado e boas corridas.

    Abraço.

    ResponderEliminar
  3. Essas últimas fotos estão qualquer coisa! :)

    Parabéns pelo 3º lugar, excelente!

    Bons treinos, abraço!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Viva Vitor.

      Realmente são fotos muito porreiras :)

      Obrigado.

      Um abraço.

      Eliminar